Últimas

Relacionamento por Amovocês

Dia dos Namorados

Amanhã é dia dos namorados e eu pensei em escrever algo sobre isso… Mas escrever o que?

Pensei em falar sobre Namoro versus Corte ou Namoro Cristão versus Namoro Mundano. Mas creio que todos aqui já sabem que os padrões do mundo são completamente avessos aos padrões Cristãos. Não só no que se refere ao namoro, mas em tudo, em todas as áreas. Tanto é verdade, que Paulo nos alertou em Romanos 12:2 que não devemos nos amoldar ao padrão deste mundo, mas renovar a nossa mente.

Assim, acredito ser desnecessário, nesse momento, falar que o namoro Cristão não é test-drive, que o namoro cristão não é ficar, que o namoro cristão não é transar antes do casamento, que o namoro cristão não é beijar o máximo de pessoas possível…

Afinal, se é isso que vemos no mundo, se é esse o modelo de namoro comum entre aqueles que não estão em Cristo, é óbvio, por pura dedução, que tais padrões não correspondem ao Namoro Cristão. Portanto, não vou falar sobre isso.

Além disso, após analisar um pouco as diferenças entre Namoro Cristão e Namoro Mundano, percebi que o grande problema vem antes dos atos praticados pelos namorados durante o namoro. Vem da distorção do significado da própria palavra Namorado.

O que significa namorado? Vocês já pararam para pensar nisso? Vocês são namorados? Vocês se consideram namorados? Precisamos saber isso, afinal, amanhã é deles, dos namorados.

Penso que entender o significado de uma coisa é extremamente importante para que possamos falar sobre essa determinada coisa. Então não tem como a gente fazer uma reflexão sobre namorados, sem que saibamos, precisamente, o que significa namorado. E nada melhor para saber o que significa namorado do que buscar a origem dessa palavra.

Procurei nos dicionários e descobri que “Namorado”, em síntese, é aquela pessoa que está namorando alguém ou que está em namoro com alguém ou, ainda, quem namora alguém e, também, quem está em amor com alguém.

Resolvi então ir mais a fundo, e pesquisei a origem da palavra Namorado, e descobri que namorado é uma palavra de origem espanhola, derivada da palavra “enamorado”, que, por sua vez, surgiu da expressão “estar em amor”. Dessa expressão surgiram as variantes enamorar, da qual surgiu o verbo namorar.

Então Namorado (ou namorar ou namoro) é o mesmo que estar enamorado, que é o mesmo que estar em amor por alguém. Tá, mas o que significa estar em amor por alguém?

Se fizermos um estudo etimológica da palavra “enamorado” vamos entender melhor.

Enamorado é uma palavra formada pelo prefixo “en”, pela palavra “amor” e pelo sufixo “ado”. O prefixo “en” é proveniente do latin “in” – que significa estar em. O sufixo “ado” é proveniente do latin “atu” – que indica o particípio do passado).

O prefixo “en” expressa a ideia de aproximação e/ou movimento para dentro e/ou transformação com a palavra que o sucede.

Por exemplo:

encostado (expressa aproximação – Eu estou encostado na parede, significa que minhas costas estão muito próximas ou tocando a parede);
encaixotado (expressa movimento para dentro de algo – Os brinquedos foram encaixotados, ou seja, colocados dentro da caixa);
enriquecido (expressa uma transformação – Fui enriquecido pela mensagem que o Pastor pregou no último domingo – ou seja, a pregação causou uma transformação interior em mim, deixando-me mais rico).

Essas três expressões do sufixo “en” sugerem então que a palavra “enamorado” se relaciona com a palavra “amor” dessas três formas:

1) expressando aproximação: Ou seja, Enamorado é chegar bem perto do amor;
2) expressando movimento para dentro: Ou seja, Enamorado é entrar no âmbito (no espaço) do amor;
3) expressando transformação: Ou seja, Enamorado é se transfigurar, se transformar, no próprio amor.

Logo, podemos concluir com isso que Namoro (ou estar Namorado ou Enamorado) tem então três estágios: primeiro, chegar perto do amor; segundo, entrar no âmbito do amor; e terceiro, se transformar no amor.

Os que estão chegando perto do amor são todos aqueles que estão nos estágios iniciais da corte, ou seja, estão ainda conhecendo um ao outro, conversando sobre o amor, orando para que Deus os direcione ao amor, mas ainda não chegaram no amor. Há outros que já entraram no âmbito (no espaço) do amor, ou seja, que já tem certeza do sentimento que nutrem um pelo outro, mas embora estejam no espaço do amor, esse sentimento ainda não se transformou no verdadeira amor, podemos incluir aqui os noivos. E há, ainda, aqueles que já transfiguraram-se em amor, ou seja, aqueles que decidiram transformar o sentimento em amor verdadeiro, transformação essa que só é possível no laço do casamento.

É no casamento que o sentimento se transforma em amor verdadeiro. Afinal, amar não é encontrar alguém perfeito, é decidir amar depois de ver o defeito da pessoa, e a gente só vê todos os defeitos do outro quando a gente casa, não é mesmo? E é quando a gente casa que a gente continua decidindo amar… Isso mesmo… decidindo amar…

Amor é decisão… Não é simplesmente um sentimento, é uma escolha. A gente decide amar, apesar de tudo. E é quando a gente chega nesse nível que, finalmente, transformamos o sentimento nutrido nos outros dois estágios em amor verdadeiro.

É assim, por exemplo, que Deus nos ama.

O amor de Deus é um exemplo claro de que o amor não é só um sentimento, mas uma escolha, uma decisão. Pois está escrito em Romanos 5:8: “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores”. E mais uma vez é dito em Efésios 2:4-5 “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo quando ainda estávamos mortos em transgressões—pela graça vocês são salvos”.

Ou seja, apesar de nós, apesar dos nossos pecados e mesmo estando mortos em nossas transgressões, Deus escolheu – decidiu – nos amar, dando-nos vida com Cristo. E ele continua nos amando. A escolha Dele é contínua, não diminui, ele não volta atrás em sua decisão.

Afinal, quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? (…) Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor (Romanos 8:35 e 37-39).

Deus não muda sua decisão de nos amar.

Portanto, meus caros Namorados, é nesse tipo de amor que devemos chegar perto, que devemos entrar e que devemos transformar os sentimentos que nutrimos pela pessoa que está ao nosso lado. É isso que significa estar em amor. É estar constantemente decidindo amar, independentemente da situação.

Não importa em que estágio do Namoro nós estejamos, se na Corte, no Noivado, ou já Casados. Nossos relacionamentos devem ter como alvo um amor igual ao amor de Deus.

Um amor que não muda, que não diminui, e que não fica pouco, que se compromete com o outro, apesar do outro… um amor paciente, bondoso, que não sente inveja, nem se vangloria, que não seja orgulhoso, que não busque seus próprios interesses, que não se ira e não guarda rancor… um amor que perdoa o pecado do outro, o erro do outro, o defeito do outro.

E nada pode mudar a decisão que tomamos quando decidimos amar assim… nada… nem a tribulação de uma traição, nem a angústia de uma doença, nem a fome ou a nudez produzida por uma dificuldade financeira, nem o perigo ou a espada das eventuais discussões que certamente teremos… nada, nada pode alterar a decisão que tomamos de amar a pessoa que está ao nosso lado.

Esse tipo de amor é a nossa meta, esse é o nosso alvo.

Se vocês, Namorados, estão na fase do chegar perto do amor, chegue perto desse amor. Se vocês estão na fase do entrar no âmbito do amor, entre no âmbito desse amor. E se você já entrou no amor, transforme-o no verdadeiro amor.

Não pensem, como muitos, que o namoro – ou o estar em amor – é apenas uma fase pré-noivado, e que acaba quando casamos. Pelo contrário, o namoro é bom quando se é solteiro, mas é essencial quando casamos. O namoro é a busca pelo amor verdadeiro espelhado no amor com que Deus nos amou.

E a busca desse amor, meus caros namorados, é sim motivo de celebração. É esse tipo de amor que justifica uma data especial em nosso calendário. E é por isso eu espero que esse dia seja para vocês muito mais do que uma simples confraternização, mas que seja um despertar para o verdadeiro namoro. Um despertar para uma tomada de decisão.

Decida chegar perto desse amor (e isso se aplica a vocês que está na fase da Corte). Decida entrar nesse amor (e isso é para vocês que são noivos). Decida transformar esse amor em amor verdadeiro (e isso se aplica a todos os casados).

Eu oro para que todos nós possamos aproveitar o dia 12 de junho para a amar como Deus decidiu amar cada um de nós. Pois estou convencido de que, se fizermos isso, nada será capaz de separar aquilo que Deus uniu.

Que Deus nos abençoe e nos ajude a tomarmos essa decisão.

Feliz dia dos Namorados para todos nós.

Por: Kerwin Muriel

Amovocês

Amovocês é uma declaração de amor, que tem por objetivo mostrar ao mundo que Deus nos ama e que não deseja que ninguém se perca, mas que todos venham a seguir a Sua vontade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

1 Comentário

  • Excelente o texto!!!

Deixe uma resposta

Facebook Comments

comments powered by Disqus

Baixe nosso e-book

Ebook - O Leite

Pesquisar

Assuntos Relacionados

Nenhum assunto relacionado

Assine o Amovocês

Digite seu endereço de email para assinar este site e receber notificações de novos posts por email.

A Jornada – Sistema de Discipulado On-Line